Páginas

6 de mar de 2017

UNINOVE realiza aula inaugural com debate sobre jornalismo




Acontece nos dias 07 e 08 de março a aula inaugural do curso de comunicação da UNINOVE (Universidade Nove de Julho). O evento será realizado no campus Memorial, localizado próximo à estação Barra Funda do Metrô e ao Memorial da América Latina.

No dia 07, terça feira, para falar sobre jornalismo na TV estarão presentes a repórter Viviane Barbosa, do programa Hoje em Dia, da TV Record e os apresentadores do SBT Notícias, Cassius Zeilmann e Darlisson Dutra.

Dia 08, quarta feira, será a vez de Arnon Gomes contar um pouco de sua trajetória para os futuros jornalistas. Editor-chefe do jornal Folha da Região, de Araçatuba (SP), Arnon é pós-graduado em História e Cultura e é autor da biografia "O jornalista mais premiado do Brasil – a vida e as histórias do repórter José Hamilton Ribeiro", obra lançada em 2016, que conta a vida de um dos maiores jornalistas do país.

Ao final da palestra o autor fará uma sessão de autógrafos. Para participar é necessário fazer inscrição no site da instituição:



Serviço:

Aula inaugural curso de comunicação
UNINOVE Memorial - Av. Dr. Adolpho Pinto, 109, Barra Funda, (11) 2633-9000
Auditório 2º subsolo – Prédio C
07 de março às 19h15 
08 de março às 08h15


***

19 de ago de 2016

Confira 9 filmes incríveis que retratam o universo fotográfico



    Já imaginou se não existisse a fotografia? Já parou para pensar como seria o mundo sem as fotos, não somente as queridas selfies, mas também aquelas fotos que nos contam uma história, que nos mostram um acontecimento, que nos possibilita saber como era o passado, assim como registrar o nosso presente para que, no futuro, possamos recordar o nosso passado, como seria a vida sem essa possibilidade? A história da fotografia pode ser contada em diversos momentos, desde o instante em que um inventor achou que isso era possível, até o momento em que ela chegou ao Brasil, através da família real, entretanto, o dia 19 de agosto foi escolhido para ser o dia da fotografia devido ao fato de que foi nessa data, em 1839, que o Governo francês considerou a invenção do daguerreótipo, um processo fotográfico desenvolvido por Louis Daguerre, em 1837, como um verdadeiro presente para o mundo.

O daguerreótipo consiste em um equipamento que produz fotos sem negativo, seu funcionamento se dá a partir do momento em que uma placa de prata é sensibilizada com vapor de iodo, formando o iodeto de prata sobre ela. Após a formação do iodeto, em uma câmara escura a placa é exposta à luz durante 25 minutos. Através do contato com a luz é possível transforma os cristais de iodeto de prata em prata metálica, formando uma imagem latente, imagem que pode ser revelada com o uso do vapor de mercúrio.

 Terminado esse processo será preciso realizar a fixação da imagem na placa, que é possível por meio da utilização do hipossulfito de sódio. O hipossulfito solubiliza toda a quantidade não reagida de iodeto, e depois disto é só lavar a lâmina e a imagem captada estará fixa nela, sob a forma de uma liga brilhante.

O resultado final é em positivo e em baixo relevo, possuindo grande quantidade de detalhes, entretanto, a placa deve ser protegida com um cristal e ser fechada hermeticamente – sem contato com o ar – para evitar a perda da imagem, pois a superfície é muito delicada.

Oficialmente esse foi o primeiro processo fotográfico do mundo, todavia, ao longo dos anos muita coisa mudou, a fotografia mudou, se reinventou, obrigando assim os seus profissionais a se reinventarem, para que sempre fosse possível captar o registro de momentos para mostrar ao mundo, pois, embora o suporte fotográfico tenha mudado, o ato de fotografar, o ato fotográfico, independente dos anos, permanece o mesmo.

Em homenagem a essa data tão simbólica, e aproveitando a chegada do fim de semana, o Café Jornalístico trás uma relação de nove filmes que têm a fotografia ou o profissional da foto como tema principal.

The Bang Babg Club

http://bit.ly/2b3K1iZ


Baseado no livro homônimo, escrito pelos fotógrafos Greg Marinovich e João Silva, que formavam o clube do título, com Kevin Carter e Ken Oosterbroek, a história se passa no final do regime de Apartheid, na África do Sul, nos anos 1990. O filme transita entre temas pesados: os conflitos étnicos da África do Sul e os dilemas éticos dos fotógrafos diante da sordidez humana. O roteiro é centrado na história dos dois fotógrafos que ganharam o Prêmio Pulitzer: Marinovich e Carter.

Henri Cartier- Bresson – só amor

http://bit.ly/1tGHlZx



O documentário mostra momentos particulares da vida de Bresson: sua primeira câmera, a viagem à Marselha e a criação da agência de fotografia Magnum. O mestre da fotografia viveu quase um século, anos dedicado praticamente ao registro do espaço e do tempo em preto e branco.

Annie Leibovitz - a vida através das lentes legendado

http://bit.ly/2bn9hPe



O documentário retrata a vida de Annie Leibovitz, uma das maiores fotografa da atualidade.

A Vida Secreta de Walter Mitty

http://bit.ly/2bQmyCP


Walter Mitty (Ben Stiller) é o responsável pelo departamento de arquivo e revelação de fotografias da tradicional revista Life. Ele é um homem tímido, que leva uma vida simples. Ao receber um pacote com negativos do importante fotógrafo Sean O'Connell (Sean Penn), ele percebe que está faltando uma foto, o problema é que trata-se justamente da foto escolhida para ser a capa da última edição da revista. É quando, Walter, com o apoio de Cheryl (Kristen Wiig) é obrigado a embarcar em uma verdadeira aventura.

A pele

http://bit.ly/2b5TgdB



Diane Arbus (Nicole Kidman) é considerada por muitos como sendo uma das melhores fotógrafas do século XX. Ao longo de sua carreira Diane voltou sua atenção para o bizarro, o inusitado e o diferente em suas fotos. Um de seus trabalhos foi com Lionel Sweeney (Robert Downey Jr.), que era portador de tricotomia, uma disfunção caracterizada pelo excesso de pelos em todo o corpo.

O Resgate de Harrison



O fotógrafo de guerra Harrison Lloyd (David Strathairn) volta para casa com a intenção de passar mais tempo com sua mulher e seus filhos, além de praticar seu hobby favorito: cultivar flores. Ele aceita uma última missão, a de cobrir os eventos na Iugoslávia. Quando Harrison é declarado morto no front croata, Sarah (Andie MacDowell), sua esposa, não se conforma, recusa-se a acreditar na notícia e parte para a Iugoslávia para encontrar o marido. Ela procura colegas fotógrafos de Harrison para ajudá-la na busca e, com firmeza e determinação, mergulha no redemoinho da guerra.

High Art – Retratos Sublimes

http://bit.ly/2btyd94


Syd (Radha Mitchell) vive com seu namorado em seu pequeno apartamento, quando ocasionalmente depara-se com sua vizinha, Lucy (Ally Sheedy), uma fotógrafa que largara a profissão há 10 anos, pois o sucesso houvera a enlouquecido. Lucy tem uma namorada alemã, dependente tanto do amor de seu amor, quanto das drogas.

Nascidos em Bordéis

http://bit.ly/2bs2eHA


A fotógrafa Zana Briski e o cineasta Ross Kauffman foram a uma das regiões mais marginalizadas e pobres da Índia para quebrar tabus. Na cidade de Calcutá funciona a zona de prostituição Sonagachi, onde a fotógrafa iniciou um workshop com os filhos das garotas de programa da região. Logo, meninos e meninas acostumados com a exclusão provaram do poder transformador da arte.

Mil vezes boa noite

http://bit.ly/2bDkaeO


Rebecca (Juliette Binoche) é uma das melhores fotógrafas de guerra em atividade e precisa enfrentar um turbilhão de emoções quando seu marido (Nikolaj Coster-Waldau) lhe dá um ultimato. Ele e a filha do casal não suportam mais sua rotina arriscada e exigem mudanças, mas ela, apesar de amar a família, tem verdadeira adoração pela profissão.



*** 


18 de ago de 2016

Sindicato dos Jornalistas de São Paulo lança canal de denúncia contra o assédio

Como parte da série de ações programadas pelo Sindicato, para inibir o assédio contra jornalistas, o canal possibilita que as mulheres que sofrem assédio no exercício da profissão possam denunciar os abusos.



Mulheres jornalistas já podem denunciar os assédios sofridos no exercício da profissão. Na tarde dessa quinta feira, 18/08, o Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado de São Paulo (SJSP) lançou um canal de denúncia para receber as queixas de violência sofrida pelas jornalistas no ambiente de trabalho.

De acordo com a Entidade, que publicou um comunicado em seu portal, as denúncias efetuadas serão recebidas pelas diretoras do Sindicato, possibilitando maior conforto para que as mulheres jornalistas possam fazer o seu relato. Após a denúncia, as diretoras e profissionais, com acompanhamento jurídico, irão analisar e decidir como proceder, considerando cada caso.

Segundo a advogada Marina Ganzarolli, co-fundadora da Rede Feminista de Juristas (DeFEMde), que recentemente participou de um debate no Sindicato, o assédio moral é caracterizado pelo isolamento, atribuição distintas de tarefa, alternância de horário sem aviso prévio, tratamento diferenciado, instruções fornecidas de forma não clara, agressão física ou verbal, ameaças e insultos. Quanto ao assédio sexual, pode ser caracterizado por qualquer ato que constranja a mulher, independente de palavras. De acordo com Marina, gestos, a exemplo de abraços, beijos ou qualquer tipo de atitude constrangedora, também podem se configurar como assédio sexual.

Vale ressaltar que, para o Sindicato, caracteriza-se assédio sexual não apenas quando essa abordagem se dá por superior, mas também por colegas de trabalho do mesmo nível hierárquico ou por fontes jornalísticas, ainda que este entendimento não seja garantido no poder Judiciário. As denúncias podem ser feitas pelo telefone: (11) 99300-1382, através do e-mail denuncieoassedio@sjsp.org.br ou enviando o relato pelo link: http://bit.ly/2b4ZLNW, o sigilo é assegurado.

A violência sexista nos locais de trabalho

Em uma pesquisa realizada no ano de 2000 pela médica do trabalho e pesquisadora da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), Dra. Margarida Barreto, foi constatado que as mulheres que já tinham sofrido algum tipo de violência queixavam-se de males generalizados. De acordo com o estudo,  100% das mulheres entrevistadas tinham crises de choro, 80% sentiam dores generalizadas, 80% palpitações e tremores, 72% tinham sentimento de inutilidade, 69,6% insônia ou sonolência excessiva, 60% depressão, 40% dor de cabeça, 40% distúrbios digestivos e 16,2% comentaram que tinham ideias de suicídio.

O assédio sexual, na definição da OIT (organização internacional do trabalho), são atos, insinuações, contatos físicos forçados, convites inconvenientes que apresentem as seguintes características: condições para manter o emprego, influência para ser promovida, impactos na carreira profissional. A OIT - 2015 ainda indica que 52% das mulheres economicamente ativas já foram assediadas sexualmente. 

A Internacional de Serviços Públicos - ISP Brasil, que lançou uma cartilha abordando a violência contra mulher no trabalho e explicando formas de combate, pontua que a impunidade dos agressores, o silêncio das mulheres agredidas, as ideias construídas socialmente sobre a inferioridade das mulheres, a forma naturalizado com que a violência é tratada, o papel da mídia, que reforça os valores machistas e capitalistas; dentre outros fatores são os responsáveis pela manutenção da violência sexista. A cartilha completa pode ser acessada no seguinte link: http://bit.ly/2bwYb8L.

***